Enquanto isso, no canal pró TJ: “A BÍBLIA NÃO É SUFICIENTE” ®

Enquanto isso, no canal pró TJ: “A BÍBLIA NÃO É SUFICIENTE” ®

1 de maio de 2020 Enquanto isso... 0
“O CG salva as pessoas da Bíblia”!
Quando escrevi o artigo: “AsVezes” + Sites Críticos às TJ – Nova Luz?® – fiz uma pesquisa nas publicações do Corpo Governante (CG) procurando as palavras “site” e “internet” por isso me deparei, entre outros, com o Ministério do Reino do qual transcrevo o seguinte trecho:
18Vale notar que diversas pessoas criaram sites na Internet aparentemente para pregar as boas novas. Muitos desses sites são de autoria DE IRMÃOS IMPRUDENTES. (…) Falando sobre a necessidade ou não de nossos irmãos criarem esses sites, o Nosso Ministério do Reino de novembro de 1997 declarou, na página 3: “Não há necessidade de ninguém preparar páginas na Internet sobre as Testemunhas de Jeová, sobre nossas atividades ou crenças. Nossa página oficial [www.watchtower.org] APRESENTA INFORMAÇÕES EXATAS PARA QUEM AS DESEJAR.” (Nosso Min. do Reino [um boletim interno das TJ] 11/99 p. 4).
Como destaquei no artigo acima citado, creio que houve uma “nova luz” sobre a proibição de TJ procurarem informações na internet em sites críticos a elas mas, segundo revelou esta mesma pesquisa, a proibição de manter espaços virtuais pró TJ permanece proibida, como se lê acima (até onde sei, nenhuma TJ que, voluntária e continuamente se mantenha na condição de “imprudente” poderá permanecer TJ, basta que tal rebeldia se torne conhecida, em especial, dos anciões ou de outros “superiores”) e a razão da proibição está, exatamente, no trecho destacado e sublinhado acima.
Informação EXATA (no sentido de ser aprovada pelo CG) sobre a obra e crenças das TJ (na internet ou em qualquer outro local) apenas o CG pode dar e isso ocorre apenas por meio de suas publicações impressas e do site oficial na internet.
Todas as demais informações e afirmações sobre as TJ não serão oficiais e, pior do que isto, podem ser incorretas (também segundo o ponto de vista do CG) e é aí que está o grande problema:
– De um site “apostata” uma TJ (caso venha a entrar nele) sempre terá “um ou vários pés atrás” com as informações e afirmações que ali encontrar, mas, em um site que defende as TJ não haverá tal cuidado ou ele será extremamente reduzido e aí podemos ter TJ que passem a usar e defender argumentos e ideias que o CG não aprova e sem dúvida (ainda mais em se tratando de CG) isso será  considerado “apostasia” (por mais que não seja)!
Cito como exemplo o vídeo que encontrei (para mim, em parte, revolucionário), mas que o CG julgaria, creio eu, como um atendado à religião das TJ: o canal onde ele se encontra tem quase 9 mil inscritos e o referido vídeo têm mais de 21 mil visualizações!
Não tenho a menor dúvida de que, se não for 100%, 99,9% dos inscritos são TJ e, pelo menos 90% das pessoas que assistiram ao vídeo, são TJ!
         Este vídeo (que irei usar como base deste e em outros artigos desta nova série) o narrador cita  e transcreve palavras que estão em um livro crítico às TJ mas que, não obstante, não passam de uma compilação de ensinos do próprio CG e afirma que irá refutar (em parte) as afirmações, afirma que irá apontar erros no que foi afirmado “pelo crítico às TJ” e no decorrer do vídeo, em pelo menos um ponto, ele realmente faz isto, baseando seu argumento em uma realidade evidente e inegável (que inclusive alterou, em parte, um conceito que tinha sobre as TJ) e com isto o vídeo (gerando uma espécie de “efeito colateral”) refuta, por exemplo:
que a religião das TJ seja a única religião verdadeira
 (basta desenvolver o raciocínio usado para concluir isto)! 
Os visitantes do canal no qual se encontra o vídeo a que estou me referindo são convidados a usar os argumentos que aprenderem ali e, se em uma conversa com uma TJ ela usar de tal argumento, bastará raciocinar à base de um único texto bíblico para que ela chegue na conclusão acima e é exatamente este tipo de problema que o CG quer evitar ao proibir espaços virtuais em defesa das TJ na internet.
Eu defendo o direito das TJ manifestarem seus pensamentos na internet ou em qualquer outro lugar (isto é mais que um direito constitucional é um direito bíblico) mas estou certo que o CG, pelas razões que estou apontando, não pensa da mesma forma!
Feito este introito, passo a cuidar do tema que dá nome ao presente artigo.
A BÍBLIA NÃO É SUFICIENTE: – Em trecho da “acusação” que o autor do vídeo cita (“acusação” 100% composta de ensinos do próprio CG eu repito), lemos:
                                  …sem o Corpo Governante, ninguém
 jamais poderá entender a Bíblia…
O vídeo irá tratar (de verdade) do trecho acima na segunda vez que o mencionar e será para concordar com ele, inclusive, o autor do vídeo irá usar a própria experiência pessoal como prova da correção das palavras acima!
O narrador faz a seguinte afirmação:
“Ler a Bíblia não foi suficiente para mim eu precisei
ser instruído por um discípulo cristão verdadeiro e
o meu caso não é exceção ele é regra…”
 
Antes de “adotar” a afirmação acima a fim de analisá-la à luz da Bíblia preciso afirmar:
É muito triste ver uma pessoa que (eu sei que) crê na Bíblia como palavra de Jeová afirmando:
– que para ela a Bíblia não é nem foi suficiente,
– que a Bíblia não ser suficiente é a REGRA e
– a tentativa de provar isto com base na própria Bíblia(o que ele tentará fazer na sequência)!
Impressiona muito o fato dos mesmos governantes da religião que ensina que as palavras bíblicas não são suficientes, sobre suas próprias palavras, ensinarem e (exigirem):
Devemos comer, digerir e assimilar o que se coloca diante de nós, sem rejeitar certas partes do alimento porque talvez não convenha ao capricho do nosso gosto mental. (S.1/11/52, p. 164)
E o que mais impressiona é que o CG exige que as palavras acima também sejam “comidas, digeridas e assimiladas” pois, na verdade, são “alimento no tempo apropriado” fornecido, primariamente, pelo próprio Jesus (é muito absurdo junto)!
Vou adotar o ponto de vista do vídeo (que, no fundo, é do próprio CG) a fim de analisá-lo e desenvolvê-lo, porém, antes disto, já posso apresentar duas conclusões que a argumentação que irei usar aqui irá permitir concluir (e faço isso porque já há neste Blog um Artigo chamado – A Bíblia sem o CG na Visão do CG®– no qual exploro este tema).
Quando se tenta negar a suficiência da Bíblia usando a própria Bíblia o que se está fazendo, em última análise, é tentando provar que:
1:
                      a Bíblia é um livro contraditório e,
 portanto, indigno de confiança!
É este desserviço à fé, ao evangelho e a Jeová que o CG ensina às TJ e as leva a ensinar a outros!
2:
Nunca haverá uma “nova luz” que, de um vez por todas, venha a corrigir este ensino, pois, se houver, o CG perde toda sua autoridade perante das TJ, isto é, se a Bíblia passar a ser encarada pelas TJ como capaz, por ela mesma (e com o prometido auxílio do Espírito Santo –  pois é Ele que conduz a toda a verdade – Jo.16:12-13), tornar o homem plenamente competente a ter uma fé sadia e a conduzi-lo à salvação, acaba a função de “escravo fiel e discreto” que o CG defende ter com base em Mt. 24:45 e de onde emerge toda sua autoridade sobre a vida das TJ.
Adotando o Argumento de que a Bíbia não é suficiente e raciocinando a partir dele, temos: Se a Bíblia, por ela mesma, não é suficiente, então, usando da (bela) ilustração constante do Sl. 119:105 podemos pensar na Bíblia como uma lanterna, uma lanterna alimentada por pilhas.
Usando esta analogia, temos que a lanterna (a Bíblia) com sua “lâmpada”, com a “luz” que ela pode produzir é o instrumento que ilumina o caminho espiritual do ser humano, para que ele possa andar em segurança e, com isto, conforme for avançando, conheça cada vez mais a Jeová e caminhe em direção à salvação (é neste sentido é que Pv. 4:18 deve ser encarado).
Porém, uma lanterna, sem as pilhas, não fornece luz alguma, logo, temos que agregar as pilhas para que ela funcione. E quem representa as pilhas?
O CG responde na Sentinela de 1/8/82, p. 27. No artigo que se encontra nesta página se afirma sobre a Bíblia (a “lanterna”):
4 Não importa onde vivamos na terra, a Palavra de Deus continua a servir de luz para a nossa senda e de lâmpada para o nosso caminho, no que se refere à nossa conduta e às nossas crenças. (Salmo 119:105). …
E na sequência deste mesmo parágrafo o CG nos apresenta “as pilhas”:
Mas,Jeová Deus proveu também sua organização visível, seu “escravo fiel e discreto”, composto dos ungidos com o espírito, para ajudar os cristãos em todas as nações a entender e a aplicar corretamente a Bíblia na sua vida. …
Novamente, na sequência imediata do mesmo parágrafo, o CG informa o que ocorre com aqueles que escolherem dispensar as “pilhas” e ficarem apenas com a “lanterna”:
… A menos que estejamos em contato com este canal de comunicação usado por Deus, não avançaremos na estrada da vida, não importa quanto leiamos a Bíblia. — Veja Atos 8:30-40. (S. 1/8/82, pg.27).
– De acordo com tais afirmações as TJ devem entender que:
Sim, a Bíblia é importante mas é também “insuficiente”, sem o CG ela é ineficaz, afinal, sem o CG ninguém pode “entender e a aplicar corretamente a Bíblia na própria vida”!
E para que não haja dúvidas de que é isto o que o CG ensina:
Assim, a Bíblia é um livro de organização e pertence à congregação cristã como organização não como a indivíduos, não importa o quão sinceramente creiam poder interpretar a Bíblia. Por esta razão, a Bíblia não pode ser devidamente entendida sem ter presente a organização visível de Jeová.
S. 1/6/68 p. 327
A Bíblia não foi providenciada por Deus para instruir ao ser humano em si, mas sim, à organização cristã, é à organização cristã (a religião das TJ) que a Bíblia pertence e sem ela a Bíblia não pode ser compreendida!
 
Vou avaliar esta “verdade” primeiro destacando um fato histórico, um fato inegável e depois avaliando-a de acordo com a própria Bíblia.
FATO HISTÓRICO – A Bíblia surgiu muito antes do CG das TJ, logo, houve um imenso período histórico no qual: havia a Bíblia toda e não havia o CG e aquele período é imensamente maior do que este, isto é, a Bíblia esteve disponível por séculos nos quais o CG, da era pós apostólica, ainda não existia (após a Bíblia ter sido impressa por Gutemberg pela primeira vez, levou ainda mais de 400 anos para surgir no cenário CT Russel – que foi o fundador do movimento que se transformou nas atuais TJ – e que só posteriormente, por volta de 1944, passou a defender que havia entre elas o CG “previsto” em Mt. 24:45)!
         Sendo o CG, as “pilhas”, então, após a morte do último dos apóstolos, a “lanterna” (a Bíblia), foi de total inutilidade por séculos, porém, dizer que a Bíblia foi insuficiente, inútil e  ineficaz durante séculos não dá a exata noção do que significa a Bíblia não funcionar como Bíblia.
         Todos os efeitos espirituais benéficos que a Bíblia produz quando funciona (portanto quando conta com as “pilhas”) produzem o efeito contrário quando as “pilhas” inexistem, isto é, a Bíblia sem as “pilhas” (o CG) não se torna um livro inerte
ELA SE TORNA UM LIVRO
 MUITO PERIGOSO AO SER HUMANO!
Sem as indispensáveis (e imensamente tardias) “pilhas” o homem aprendeu por séculos (como defende o CG que o homem aprendeu) erros, doutrinas falsas e apostasia e por isto criou religiões falsas e sem qualquer apoio divino! Em outras palavras:
sozinha, a palavra escrita que Deus deixou para o homem,
afasta o homem de Deus, o conduz à escuridão espiritual!
         E o próprio CG revela isto, quando, em uma Sentinela, relata o que acontece com pessoas que foram TJ (e portanto aceitavam todos os ensinos do CG) mas com o tempo se afastaram e passaram a estudar a Bíblia por conta própria ou em grupos.
Percebam o imenso mal que o estudo da Bíblia, apartado do CG, causa:
14 De vez em quando têm surgido nas fileiras do povo de Jeová alguns que, iguais ao Satanás original, adotaram uma atitude independente e crítica. Não querem servir “ombro a ombro” com a fraternidade mundial. (Veja Efésios 2:19-22.) (…) Procuram lançar dúvidas e separar os insuspeitos da “mesa” de alimento espiritual abundante, servido nos Salões do Reino das Testemunhas de Jeová, onde realmente ‘nada falta’. (Salmo 23:1-6) Dizem que basta ler exclusivamente a Bíblia, quer em particular, quer em pequenos grupos em casa.
Percebam que os “apostatas”, os “iguais a Satanás” mencionados acima, não deixaram a “organização” porque rejeitaram a Jeová e a fé pois, se assim fosse, também rejeitariam a Bíblia, mas, como se vê no destaque acima, estudar a Bíblia continua sendo algo que eles fazem.
E qual o resultado de estudar a Bíblia em particular ou em grupos sem a orientação do CG?
 O restante do mesmo texto da Sentinela responde:
 Mas, o que é estranho é que por meio de tal ‘leitura da Bíblia’ voltaram novamente para trás, para as doutrinas apóstatas que os comentários dos clérigos da cristandade estavam ensinando há 100 anos, … (S. 1/6/82, p.28-29)
 
        Notaram o quanto o estudo da Bíblia é prejudicial quando dissociado do CG? Perceberam o que estudo direto da Bíblia lança as pessoas nas trevas, por fazê-las acreditar em doutrinas apostatas, mesmo após já terem conhecido as doutrinas verdadeiras?
 Conclusão:
O CG salva as pessoas da Bíblia,
isso é, da Palavra de Deus!
Antes de prosseguir, creio ser importante tratar de duas objeções que podem ser levantadas contra a conclusão de que a Bíblia pode ser um perigo para o ser humano:
1Na verdade o CG ensina que a Bíblia é sim suficiente sozinha.
É verdade! Este é mais um exemplo de coisas contraditórias que o CG ensina e ensina conscientemente do que está fazendo, pois, o ensino da contradição entre as TJ (visto que tudo tem que ser “comido, digerido e assimilado” como alimento no tempo apropriado enviado, primariamente por Jesus), causa o curioso efeito de fazê-las acreditar na tese (a Bíblia é suficiente) e na antítese (ela não é suficiente) ao mesmo tempo e sem enxergar a evidente contradição disto e, ainda, são capazes de defender ambas como verdadeiras, conforme exigir cada situação!
Neste artigo já tivemos um exemplo de que o CG não se refreia em ensinar a tese e a antítese às TJ, inclusive, dentro de um mesmo artigo da Sentinela (como vimos acima, na transcrição da Sentinela de 1/8/82, pg.27) pois sabe que isto não gera qualquer dificuldade para as TJ, afinal, elas devem comer, digerir e assimilar tudo o que o CG colocar diante delas, encarando tudo como “alimento no tempo apropriado”, pouco importa se o ensino for evidentemente contraditório!
Poderia citar vários exemplos, em diferentes temas, nos quais o CG ensina às TJ a acreditarem tanto na tese, como ocorre aqui (a Bíblia é suficiente para conduzir o ser humano à salvação) quanto na antítese (a Bíblia não tem tal suficiência) sem qualquer problema. Segue apenas um, bem evidente:
TESE– Portanto, o conhecimento de Jeová e de Jesus Cristo que encontramos na Bíblia é o suficiente para mostrar a você como ganhar a vida eterna. (S. 15/4/05, p.5).
ANTÍTESE A menos que estejamos em contato com este canal de comunicação usado por Deus, não avançaremos na estrada da vida, não importa quanto leiamos a Bíblia. — Veja Atos 8:30-40. (S. 1/8/82, pg.27).
Outra estratégia que o CG usa é defender a tese em uma Sentinela e a antítese em outra. Seguem 2 exemplos de ensino apenas da tese:
Não importa quão repulsivo isto pareça ser para os mórmons sinceros, quando seus livros e suas doutrinas contradizem a Bíblia, isto não se deve a algumas traduções errôneas da Bíblia que os peritos estão localizando e corrigindo, mas às “inspirações” mórmons que se juntam sutilmente à hoste de outras revelações falsas, provenientes da única fonte que procura todo meio possível (até a aparência de cristã) para substituir, desacreditar ou abolir A NORMA TODA-SUFICIENTE DA ADORAÇÃO PURA, A BÍBLIA. (S. 22/3/71, p. 12)
——————————-
A BÍBLIA, GUIA COMPLETO
24 Há alguns que lêem as narrativas bíblicas e se queixam: ‘Se esta é a Palavra de Deus, e é guia para nós, por que há tão poucos pormenores em alguns dos relatos?’ Entre outras coisas, indicam a brevidade da narrativa da criação. A própria Bíblia responde, que Deus colocou na Bíblia o suficiente, tudo o que realmente necessitamos.(…) De forma que a Bíblia é amplamente suficiente para torná-lo “sábio para a salvação”. (2 Timóteo 3:15) É “perfeita” neste sentido.(Lv. Aa Vida Tem Objetivo p. 126)
2– Outra objeção que pode ser levantada é que seria incoerente Jeová fornecer a “lanterna” mas privar a humanidade, durante séculos, das “pilhas” deixando o homem a mercê de um livro que só pode lhe causar o mal, logo, o CG (as “pilhas”) sempre existiram, isso é, não acabaram após a morte do último dos apóstolos (não vou me aprofundar nesta objeção aqui pois, pretende escrever um outro artigo exclusivo para tratar do tema – Onde esteve o CG ao Longo dos Anos? -, abaixo vou apenas apontar mais um fato histórico e inquestionável que revela que não houve um mesmo CG, ao longo dos séculos, cujos membros foram apenas sendo substituídos conforme foram falecendo e que para existir um CG legítimo hoje, isso era totalmente necessário).
         Se sempre houve um CG, desde a era apostólica, então esta também era a realidade quando Russell nasceu, havia um CG, continuidade direta do CG apostólico e se havia, existiam também os domésticos citados em Mt. 24:45 que precisavam de “alimento no momento apropriado” (sendo que o “arranjo do escravo fiel e discreto” existe, exatamente, para alimentar os domésticos, é esta sua função), logo, tais domésticos formavam a “única religião verdadeira” governada pelo contínuo CG, logo, os domésticos estavam todos debaixo da mesma estrutura, da mesma organização religiosa.
Qual, dentre as organizações religiosas existentes quando Russell nasceu, era tal organização? Como não sabemos qual era vou chamá-la de “X”.
Russell (que recebeu os “primeiros lampejos de luz nos tempos modernos”, como afirma a Sentinela de 15/5/95, p. 16), obviamente, tinha que fazer parte do CG existente e que governava sobre a religião “X”, porém, não é isso o que a história nos conta.
FATO HISTÓRICO – Russell, depois de pertencer à Ig. Presbiteriana e a Ig. Congregacional, perdeu a fé e iniciou o processo de recuperação dela após ouvir a pregação de um pastor do Segundo Adventismo, porém, Russell não se tornou adventista, ele fundou seu próprio grupo de Estudos Bíblicos, se tornou o único líder de tal grupo (era chamado de Pastor Russell por eles), grupo que, entre outros bem menores, deu origem às TJ, logo, as TJ não são continuação da religião verdadeira” “X” existente quando Russell nasceu e nem são alimentados pelo CG que teve origem na era apostólica e que fornecia “alimento no tempo apropriado” aos membros da religião “X” – a única religião verdadeira!
Está é a conclusão a que o Fato Histórico acima
nos faz chegar, se correta esta 2ª objeção!
Continuando a tratar do tema deste artigo em si, falta analisar o texto bíblico que o vídeo invoca para dar à base à afirmação:
“Ler a Bíblia não foi suficiente para mim eu precisei ser instruído por um discípulo cristão verdadeiro e o meu caso não é exceção ele é regra, isso também ocorreu com um etíope…”
Vejamos se a experiência pessoal do narrador do vídeo é igual ao do Etíope que ele cita, citação feita para tentar dar apoio bíblico à insuficiência da Bíblia!
Enquanto o narrador afirma isso, aparece na tela At. 8:30-31.
Obs– Já vimos uma das Sentinelas citadas acima fazer referência a esta mesma passagem bíblica, então, o argumento que será usado é, primariamente, do CG. Vamos relembrar:
… A menos que estejamos em contato com este canal de comunicação usado por Deus, não avançaremos na estrada da vida, não importa quanto leiamos a Bíblia. — Veja Atos 8:30-40. (S. 1/8/82, pg.27).
Vejamos se a situação vivida pelo Etíope, realmente, ilustra a experiência vivida pelo narrador, de tal forma a comprovar que a própria Bíblia ensina sua insuficiência. Para isto vamos estudar o texto bíblico citado começando no v. 25 do capítulo 8 para vermos o contexto (destaques e comentários acrescidos):
25 Portanto, tendo eles dado cabalmente testemunho e falado a palavra de Jeová, voltaram a Jerusalém, e declaravam as boas novas a muitas aldeias dos samaritanos.
26 No entanto, o anjo de Jeová falou a Filipe, dizendo: “Levanta-te e vai para o sul, à estrada que desce de Jerusalém para Gaza.” (Esta é a estrada do deserto.)
Dentre as pessoas mencionadas do v. 25 uma delas (o profeta Filipe), recebeu orientação para não voltar a Jerusalém, mas sim para ir para a estrada indicada (e quem assim ordenou foi o próprio “anjo do Senhor”, logo, tal pedido não seria sem razão, Jeová pretendia algo ao enviar seu profeta para tal estrada).
27 Em vista disso, levantou-se e foi, e eis um eunuco etíope, homem de poder sob Candace, rainha dos etíopes, que estava sobre todo o tesouro dela. Tinha ido a Jerusalém para adorar, 28 mas regressava e estava sentado no seu carro, e lia em voz alta o profeta Isaías.
 
A ordem do anjo de Jeová começa a fazer sentido quando, exatamente pela estrada para a qual Filipe foi enviado, ia passar um Etíope, um alto funcionário no reino de seu país, que foi até Jerusalém para adorar e estava retornando para casa.
         Notem as “Jeovácidências”: O anjo de Jeová informou que Felipe deveria ir para a estrada indicada no momento certo (mesmo dia, mesma hora e no mesmo ponto da estrada pela qual o Etíope estaria passando). É certo que o Etíope não iria ler livro do profeta Isaías durante toda a longuíssima viagem (2.574 Km se fosse possível ir por terra em linha reta – de avião, a 800Km/h, se levaria mais de 3 horas) mas, no exato momento em que Filipe o encontra, ele estava lendo e não é apenas isto, ele lia em voz alta!
29 De modo que o espírito disse a Filipe: “Aproxima-te e junta-te a este carro.” 30 Filipe correu ao lado [dele] e ouviu-o lendo em voz alta Isaías, profeta (…)
Sim, a missão de Filipe era pregar ao Etíope, tudo foi preparado para que isso ocorresse, inclusive, o fato dele estar lendo em voz alta, foi isso que permitiu a Filipe, um estranho para o Etíope, abordá-lo de forma eficaz, foi isso que permitiu que ele fosse convidado a subir no carro em que estava o Etíope. Note isto na sequência:
… e disse: “Sabes realmente o que estás lendo?” 31 Ele disse: “Realmente, como é que eu posso, a menos que alguém me guie?” E suplicou que Filipe subisse e se assentasse com ele.  
Muito bem! O narrador do vídeo quer fazer crer que as semelhanças entre sua experiência pessoal e a deste Etíope provam que A REGRA é a Bíblia ser um livro insuficiente, que só pode ser aprendida, que só não causa o mal, se for ensinada por alguém que tenha a autoridade de determinar o que a Bíblia diz, o que ela ensina e o que ela não ensina (algo muito conveniente para o CG – razão pela qual reafirmo que o CG nunca terá uma “nova luz” [exclusiva e imutável] pela qual passará a afirmar – que a Bíblia é suficiente – e não da forma “bipolar” como o faz – pois, se assim fizer, perderá sua autoridade!
– Vejamos qual texto bíblico do livro de Isaías que Etíope estava lendo em voz alta:
32 … “Como ovelha ele foi levado à matança e como cordeiro que está sem voz diante do seu tosquiador, assim não abre a sua boca. 33 Durante a sua humilhação foi-lhe tirado o julgamento. Quem contará os pormenores de sua geração? Porque a sua vida lhe é tirada da terra.”
O texto revela que Felipe abordou o Etíope no momento exato em que ele havia terminado de  ler o verso 33, momento exato em que surgiu para o mesmo a seguinte dúvida:
34 … A respeito de quem diz isso o profeta? A respeito de si mesmo ou a respeito de outro homem?
Obs – Qualquer pessoa, com o mínimo conhecimento de Bíblia, responderia a esta “infantil” pergunta do Etíope  dizendo:
 – É óbvio que Isaías estava falando
de Jesus e não de si mesmo!
E é quando notamos as razões pela qual a dúvida do Etíope, na verdade, não era “infantil” que, data vênia, notamos o quão pueril é tentar defender que este “evangelismo estratégico” que Jeová usou para beneficiar o Etíope, na verdade, é uma prova universal de que a Bíblia é um livro insuficiente e portanto contraditório e imprestável!
– As razões pelas quais a pergunta do Etíope não foi infantil são:
1 – Ele contava, no máximo, com aquilo que hoje chamamos de Antigo Testamento.
2 – Os fatos ocorridos com Jesus não eram de conhecimento do Etíope, pois ele morava muito longe de onde Jesus viveu andou, morreu e ressuscitou (toda a vida e obra de Jesus era desconhecida dele e se não bastasse isto, o Etíope era convertido ao Judaísmo, e os judeus rejeitavam e continuam rejeitando a Jesus), razão pela qual Jeová tinha um plano especial de conversão na vida daquele Etíope (que provou sua fé em Deus ao fazer uma viagem absurdamente longa para adorá-lo em Jerusalém).
3 – Se o Etíope contasse com toda a Bíblia, ao ler o Novo Testamento ele já poderia obter a resposta à sua pergunta nos evangelhos mas, caso isso não ocorresse, quando chegasse em IPd. 2:21 a 25 (texto no qual Pedro cita a mesma passagem de Isaías que o Etíope estava lendo – Cap. 53:7, 8 – e o aplica a Jesus), ele encontraria a resposta, sozinho!
Analisado o contexto, vemos que que a tentativa de transforma a experiência do Etíope, dentro do contexto que ele vivia, e uma experiência universal da humanidade pós apostólica (que excluiu, obviamente, apenas os membros do CG) chega a ser digna de dó (e não afirmo isso para atingir ao narrador do vídeo, mas sim, ao CG que ensina este tipo de “monstruosidade” às TJ)!
O que leva uma pessoa, temente a Jeová e a sua palavra,  a usar um argumento de “pobreza tão franciscana” no objetivo de vituperar a palavra escrita de Deus?
Respondo sem qualquer dúvida:
o CG das TJ!
É este grupo, que se auto proclama “único canal de comunicação de Jeová para os nossos dias”, que exige que o narrador do vídeo (e todas as demais TJ), comam, ingiram e assimilem que este texto de Atos universaliza para todas os seres humanos que viveram na era pós apostólica (com exceção dos membros do próprio CG, eu insisto) a seguinte “realidade”:
– se estudarem a Bíblia sem o CG aprenderão
 erros, erros que irão afastá-los de
 Jeová e de seu favor divino!?
A “INSUFICIÊNCIA DA BÍBLIA” À LUZ DA BÍBLIA:Poderia citar várias passagens da Bíblia em ensinam sua suficiência e, por mais incrível que possa parecer, poderia citar várias publicações do próprio CG (além daquelas que já citei acima) que ensinam, baseados em textos bíblicos, a suficiência da Bíblia (o que revela o quão manipulador é o CG), mas um único texto já é suficiente, pois, nele, Jeová, através de seu Espírito, deixa isso claro (inclusive se utilizando de expressão cuidadosamente escolhida) que garante:
A Bíblia é a suficiente
 palavra de Deus.
A TJ que quiser contradizer tal realidade, antes de mais nada, terá que contradizer a Bíblia (e se o próprio CG assim o faz as TJ, infelizmente, também se sentem autorizadas a fazê-lo, como estamos vendo neste artigo)!
IITm.3:16:
16 Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça, 17 a fim de que o homem de Deus seja plenamente competente, COMPLETAMENTE EQUI-PADOpara toda boa obra.
– Você, TJ que está lendo este artigo, acredita no que está escrito no verso bíblico acima ou não?
– A Bíblia te mantêm COMPLETAMENTE EQUIPADO para aprender sobre Jeová e a salvação que ele tem a oferecer ao humanos ou não?
– A Bíblia, por ela mesma, te corrige ou não?
– A Bíblia te faz plenamente competente para toda a boa obra ou não?
Sua resposta tenderá (e deveria) ser um sonoro sim,
mas (se for honesta consigo mesma) será um retumbante – NÃO!
Porque será que Jeová inspirou o Apóstolo Paulo a usar a palavra COMPLETAMENTE EQUIPADO? O que se quis dizer ao usar tal expressão?
A Sentinela abaixo citada esclarece:
A palavra original traduzida “completamente equipado” literalmente significa “tendo sido equipado”. Essa palavra podia ser usada nos tempos antigos para se referir a um barco que fosse abastecido com tudo o que fosse necessário para uma viagemou uma máquina que fosse capaz de fazer qualquer coisa que se esperasse dela. De modo similar, Jeová nos dá, por meio de Sua Palavra, tudo o que precisamos para lidar com qualquer coisa que surja na nossa vida.
S.15/3/08 p.15-16.
TJ – Não pode existir duas verdades quando uma não concorda com a outra. Ou uma será verdade ou a outra, mas não ambas.
– Você fica com a verdade da Bíblia ou a ensinada pelo CG?
——————
Você encontrou alguma incoerência (deste blogueiro) neste artigo? Me diga qual foi. Você enxerga uma forma de sustentar que a Bíblia não te mantém completamente equipado em termos espirituais? Se a resposta for não, explique porque Jeová afirmou o contrário disto em IITm.3:16. Sua consciência não “dói” ao perceber que você acredita tanto na tese quanto na antítese? Me diga como consegue fazer isto. Há algo escrito incorretamente no artigo? Indique o que para que possa corrigir. Escreva para mim – 1tessalonicenses5.21@gmail.com – ou deixe uma mensagem (desde já – agradeço).
 

Nota Legal – Os Artigos deste Blog estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais. A reprodução de partes dos artigos é permitida desde que, citada a fonte e com indicação do link do artigo de onde foi retirada citação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *