Analogia: Estepe, Corrida de F1 e os Donos da Fé das Testemunhas de Jeová ®

Analogia: Estepe, Corrida de F1 e os Donos da Fé das Testemunhas de Jeová ®

27 de fevereiro de 2020 Controle Mental Corpo Governante 0
 
Como já abordado em outros artigos deste Blog (em especial naquele que trata da “lei do terceiro excluído”), causa perplexidade notar que é possível duas afir-mações, muito diferentes entre si e que deveriam se auto excluírem, funcionarem de forma perfeitamente harmônica na mente “treinada” de uma TJ (em razão de nunca ocuparem o lugar destinado à “verdade oficial”, simultaneamente)!
Visando expressar isto de forma mais clara (aqui, tendo por tema – A autoridade que o Corpo Governante [CG] tem sobre as vidas e mentes das TJ),  vou iniciar uma analogia com base na “roda oficial” (quaisquer uma das 4 rodas oficiais) e da “roda estepe” dos veículos:
– O estepe de um veículo é um dos itens mais negligenciado pelos(as) condutores(as), via de regra, tudo o que se sabe sobre ele é a sua localização no veículo e, muitas vezes, nem isto!
Se o estepe presente em um veículo não está servindo ao fim a qual se destina será, exatamente quando se precisar dele que isso será descoberto! As razões podem ser várias e dentre elas destaco: o pneu está rasgado, furado ou apenas murcho. Pode ser também que a roda não reúna condições de ser afixada ao veículo e, mesmo que tenha, a roda estepe pode ser tão diferente das “rodas oficiais” que seu uso irá causar problemas evidentes à dirigibilidade do veículo, razão pela qual, neste caso, nunca deve ser usada como uma roda sobressalente, mas sim, como uma roda de uso emergencial, a ser removida o quanto antes. A imagem abaixo ilustra isto:
 
Passo agora a uma segunda ilustração: quem acompanhava ou acompanha as corridas de Fórmula 1 sabe que uma das disputas que as equipes têm entre si durante as provas (que pode interferir drasticamente no resultado final), é a troca de pneus, que são cronometradas, exatamente, para fomentar a disputa (embora as quatro rodas sejam trocadas de forma manual é impressionante a velocidade e segurança com que isso é feito – o recorde atual é de menos de 2 segundos – quem tiver curiosidade de ver este impressionante feito, pode ver o vídeo no link: https://autoportal.iol.pt/desporto/fosmula-1/video-red-bull-bate-recorde-da-troca-de-pneus-na-f1).
Agregando mais este elemento à analogia que estou propondo, posso afirmar que não há equipe que consiga trocar as rodas de um F1 de forma tão rápida quando  a mente de uma Tj troca “a roda verdade” pela “roda verdade estepe”, até porque, não é necessário às TJ “pararem no boxe”, elas fazem essa troca “em movimento” e o mais impressionante – de forma imediata, imperceptível e com segurança absoluta à “continuidade da corrida” (ao menos esta é a regra)! Exemplificando, é o que ocorre quando perguntamos:
O CG é o dono de sua fé?
           A resposta honesta, real, vivenciada, inegável e, principalmente, incentivada pelo “grosso” da literatura produzida pelo próprio CG, deveria ser um sonoro “sim” porém, automática e imperceptivelmente, uma outra verdade (a “verdade estepe”) toma o lugar da “verdade real” e um sonoro “não” passa a ser a resposta!
            Obs – Nem o inspirado Apóstolo Paulo se sentiu autorizado a reivindicar a propriedade sobre a fé alheia – IICo.1:24!
Passada a situação de confronto, porém, há nova substituição, automática e imperceptível volta ocupar o “local de fixação da verdade” a “roda verdade” retornando a “roda verdade estepe” a seu lugar de inatividade, até que seja necessária novamente (esta não é uma regra absoluta, pois, nas mais de 100 conversas pessoais que já tive com TJ, apenas uma ou duas admitiram que sua fé em doutrinas bíblicas “anda” e muda de acordo com as determinações do CG – honestidade raríssima, pelo menos de ser expressa a outrem).
 
            A troca entre tais “verdades”, por mais diversas que sejam entre si, como já dito e insisto, se dá automaticamente e de forma imperceptível, isso é, a mente TJ não consegue perceber que o “local reservado à fixação daquilo que deve ser entendido como verdade” admite a fixação de uma verdade diversa (a “verdade estepe”) daquela que com frequentemente ocupa o referido lugar  e, muito menos, que tal “alternância de verdades” deveria colocar sob suspeita muitas das demais “verdades” ensinadas pelo CG! Veja abaixo a junção das ilustrações que estou usando (ler na ordem enumerada):
Vamos a alguns exemplos:
1. Roda Oficial: Não importa onde vivamos na terra, a Palavra de Deus continua a servir de luz para a nossa senda e de lâmpada para o nosso caminho, no que se refere à nossa conduta e às nossas crenças. (Salmo 119:105) Mas, Jeová Deus proveu também sua organização visível, seu “escravo fiel e discreto”, composto dos ungidos com o espírito, para ajudar os cristãos em todas as nações a entender e a aplicar corretamente a Bíblia na sua vida. A menos que estejamos em contato com este canal de comunicação usado por Deus, não avançaremos na estrada da vida, não importa quanto leiamos a Bíblia. — Veja Atos 8:30-40.(?)
Quem aceita como verdadeira esta porção de alimento
 espiritual “provida por Jesus” pode negar que sua fé tem um dono?
Por incrível que pareça, pode, em especial, se você o (a) confrontar com:
1.Roda Estepe:16Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça, 17 a fim de que o homem de Deus SEJA PLENAMENTE COMPETENTE, COMPLETAMENTE EQUIPADOpara toda boa obra. (II Tm. 3:16-17).
Obs – será que a mensagem clara mensagem deste texto da 2ª carta a Timóteo contradiz At. 8:30 a 40 ou a aplicação deste texto, na primeira citação acima, “está mais por fora que formiga em casa de diabéticos”?
2.Roda Oficial:Devemos comer, digerir e assimilar o que se coloca diante de nós, sem rejeitar certas partes do alimento porque talvez não convenha ao capricho do nosso gosto mental (S. 1/11/52 p. 164, §11– continua mais abaixo).
Quem aceita como verdadeira esta porção de alimento
 espiritual “provida por Jesus” pode negar que sua fé tem um dono?
Por incrível que pareça, pode, em especial, se você o (a) confrontar com:
2.Roda Estepe:10 Assim que anoiteceu, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Bereia. Quando chegaram lá, entraram na sinagoga dos judeus. 11 Estes tinham mentalidade mais nobre do que os de Tessalônica, pois aceitaram a palavra com vivo interesse, e examinavam cuidadosamente as Escrituras, TODO DIA, para ver se tudo era assim mesmo. (At. 17:10-11).
Obs – Imaginem o Apóstolo Paulo, este sim inspirado pelo Espírito Santo, afirmando aos Bereanos:
“Vocês DEVEM comer, digerir e assimilar o que eu coloco diante de vocês, sem rejeitar certas partes do alimento porque talvez não convenha ao capricho do nosso gosto mental”!
3.Roda Oficial: (repetição e continuação) Devemos comer, digerir e assimilar o que se coloca diante de nós, sem rejeitar certas partes do alimento porque talvez não convenha ao capricho do nosso gosto mental. AS VERDADES QUE HAVEMOS DE PUBLICAR são aquelas que a organização do escravo discreto fornece, não algumas opiniões pessoais contrárias ao que o escravo providenciou como sendo sustento conveniente. S. 1/11/52 p. 164, §11.
Quem aceita como verdadeira esta “porção de alimento espiritual provida por
 Jesus” pode negar que sua fé tem um dono? Por incrível que pareça, pode!
 A TJ pode citar para você, sem perceber a imensa contradição, o que segue:
3.Roda Estepe:12 O Corpo Governante não recebe revelações da parte de Deus nem é perfeito. Por isso, ele pode cometer erros aos explicar assuntos da Bíblia ou ao dar orientações. (…) Na verdade, Jesus não disse que o escravo ia dar alimento espiritual perfeito.
S.2/2017, p. 26.
Obs – Que Blasfêmia (ainda mais quando se lembrar que a citação acima também deve ser encarada como “alimento no tempo apropriado”, dispensado por Jesus)!  
A única forma do CG não distribuir alimento perfeito é se o alimento de Jesus for imperfeito, afinal, o alimento que o escravo distribui, não é criação dele (escravo) mas vem direta e integralmente de Jesus – basta ler o auto explicativo verso 45 de Mateus 24 (ficando atento ao uso do pronome possessivo “seu” que ali aparece mais de uma vez) e se perguntar:
 – A quem pertence o alimento que escravo distribui?
Já mostrei estas citações de literatura do CG e da Bíblia a muitas TJ e o que mais observo é, exatamente, aquilo que tentei expressar acima por meio da analogia com as ilustrações que escolhi – a verdade é terminantemente negada, sem se perceber (não há má-fé, não há vontade deliberada de mentir e enganar a quem pergunta, o que há é uma perniciosa “programação mental” instalada)!
          É exatamente tal realidade que me motiva, embora com muitas limitações de tempo, a manter este Blog: ajudar, amorosamente, pessoas valorosas a encontrarem a liberdade que não está em qualquer religião, mas sim, em Jesus – o caminho, a verdade e a vida!
——————
Quer responder? Quer comentar? Quer discordar (no todo ou em parte)? Quer sugerir alguma melhora no texto? Quer indicar alguma necessária correção gramatical?
Escreva para mim – 1tessalonicenses5.21@gmail.com (desde já, agradeço)
 

Nota Legal – Os Artigos deste Blog estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais. A reprodução de partes dos artigos é permitida desde que, citada a fonte e com indicação do link do artigo de onde foi retirada citação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *