OBJETIVA E DISCURSIVA – Artigo I ®

OBJETIVA E DISCURSIVA – Artigo I ®

20 de abril de 2019 Objetiva e Discursiva Todos os Artigos 5
Após novo período sem poder me dedicar a escrever para este Blog, finalmente, surgiu uma (breve) oportunidade de assim fazê-lo e vou aproveitá-la para lançar uma nova série de artigos, batizada com o nome que se vê no título.
    A ideia é apresentar ao leitor uma ou mais questões objetivas e após abrir a oportunidade para justificar a opção escolhida, por intermédio de uma questão discursiva.
    Obviamente, todo o leitor deste Blog poderá responder, porém, o alvo principal das questões serão as Testemunhas de Jeová (TJ), pois apenas elas podem explicar como, exatamente, entendem e harmonizam em suas mentes as coisas que tenho aqui denunciado.  
 Antes de começar, porém, quero ressaltar um trecho do verso 15 de I Pedro, capítulo 3:
…sempre prontos para fazer uma defesa perante todo aquele que lhes exigir uma razão para a esperança que vocês têm, fazendo isso, porém, com brandura e profundo respeito.
A maioria das perguntas que irei lançar aqui não irão questionar “a esperança” (no sentido de – “coisas futuras”) que há nas TJ, mas sim, coisas das quais elas têm certeza (hoje), não obstante, essa pequena diferença sobre aquilo que irei “…exigir…”, certamente, não é motivo para que os leitores não TJ e TJ que se motivarem a responder às questões formuladas nesta série, o façam de forma diversa do indicado após a primeira vírgula do texto acima.
 
Tema da Questão: A (falha) Sabedoria Humana & a direção (ou guia) do Espírito Santo sobre o Corpo Governante (CG).
 
Algo que me deixa perplexo é como a mente das TJ conseguem harmonizar (mesmo depois de alertadas) as muitas declarações contraditórias do CG (sobre os mais diversos temas) ao longo de mais de um século!
 
 
É verdade que a mente humana não compreende tudo e que tem coisas que aceitamos pela fé que, conforme Hb. 11:1, é convicção absoluta em coisas que não vemos, não obstante, a fé de que o Corpo Governante é o que ele diz ser (UM GRUPO DE HOMENS QUE, POR SEREM GUIADOS PELO ESPÍRITO SANTO, NÃO CONFIAM EM SABEDORIA HUMANA AO TOMAREM DECISÕES e, que, portanto, podem falar como “PROFETAS DE DEUS”), não é algo a ser aceito pela fé, pois, segundo o próprio CG já expressou:
Este “profeta” não era um só homem, mas um grupo de homens e mulheres. Era o grupo pequeno dos seguidores das pisadas de Jesus Cristo, conhecidos naquele tempo como Estudantes Internacionais da Bíblia. Hoje são conhecidos como testemunhas cristãs de Jeová. … Naturalmente, é fácil dizer-se que este grupo age como “profeta” de Deus. Outra coisa é provar isso. A única maneira em que isto pode ser feito é recapitular a história. O que demonstra ela?
 
S.1/10/72, p. 581
A  ÚNICA forma que pode conduzir alguém a acreditar que o CG é o que diz ser (o “escravo” mencionado em Mt. 24:45) não é por meio da fé, mas sim, por meio de algo bem mais concreto, isso é, analisar o histórico do CG – essa é a única maneira!
Agora, vejamos as afirmações contraditórias, contidos no indicado “tema da questão” a partir das quais nascerão a questão objetiva e discursiva que irei propor ao final deste:
 
 
Estudo Perspicaz… v. 2 p. 37 (deve ser notado que na transcrição que segue o CG não irá destacar, em momento algum, que foi a INSPIRAÇÃO dos homens que compunham o primitivo CG que lhes tornou possível conhecerem o pensamento e a decisão  do Espírito Santo sobre o tema que trataram – grifos acrescidos):
Quando surgiam questões, o espírito santo era ajudador em chegarem a uma decisão, como no caso da circuncisão, decidido pelo corpo, ou conselho, de apóstolos e anciãos em Jerusalém. Pedro contou que se concedera o espírito a pessoas incircuncisas das nações; Paulo e Barnabé relataram as operações do espírito no seu ministério entre tais pessoas; e Tiago, cuja memória, sem dúvida, foi ajudada por espírito santo, trouxe à atenção a profecia inspirada de Amós, que predizia que pessoas das nações seriam chamadas pelo nome de Deus. Assim, todo o impulso ou ímpeto do espírito santo de Deus apontava numa só direção, e, assim, reconhecendo isso, ao escrever a carta transmitindo sua decisão, este corpo ou conselho disse: “Pois, pareceu bem ao espírito santo e a nós mesmos não vos acrescentar nenhum fardo adicional, exceto as seguintes coisas necessárias.” — At 15:1-29.
 
 
O Espírito Santo (mesmo que considerado apenas uma “força” como entendem as TJ) é capaz de ser “ajudador” no sentido de direcionar o raciocínio e de “ativar a memória” para fazer lembrar daquilo que já está escrito nas Escrituras, logo, são atividades que não implicam em inspiração (aqui entendida como revelação de “coisa inédita”)
Assim, o Espírito Santo não inspirou os Apóstolos a tomarem decisão sobre a circuncisão, pois o tema não era novo, no sentido de ser inexistente nas escrituras já existentes à época. Como revela a publicação citada, tais ajudas revelaram que: “todo o impulso ou ímpeto do espírito santo de Deus apontava numa só direção e é por isso que o texto bíblico afirma que eles concluíram qual era a exata orientação do Espírito Santo sobre o tema!
Como já revelado em outros artigos deste Blog, o CG de hoje não se diz INSPIRADO, mas ele reivindica a DIREÇÃO ou GUIA do Espírito Santo e embora as literaturas não expliquem (de forma proposital) como funciona o processo de ajuda do Espírito Santo aos homens que compõem o CG, nos parece razoável entender que Ele age sobre as mentes de tais homens: direcionando seus raciocínios (humanos) e fazendo-os lembrar das coisas escritas e isso não implica em – INSPIRAÇÃO.
          Para que não reste dúvidas de o CG atual reivindica a direção  do Espírito Santo, cito agora uma Sentinela (que mais uma vez irá invocar a história – e não a fé), como selo de garantia daquilo que o CG afirma ser e de seu ensinos:
Eles têm um moderno Corpo Governante, composto de varões cristãos de mais idade, de várias partes da terra, que fornecem a necessária supervisão das atividades mundiais do povo de Deus. Estes homens, assim como os apóstolos e os homens de mais idade em Jerusalém no primeiro século, são membros ungidos da classe do escravo fiel e discreto designada por Jesus para cuidar de todos os Seus interesses do Reino aqui na terra. A HISTÓRIA tem provado QUE SE PODE CONFIAR NELES quanto a seguirem a direção do espírito santo, e que eles não se estribam na sabedoria humana ao ensinar ao rebanho de Deus os caminhos da genuína paz. — Mateus 24:45-47; 1 Pedro 5:1-4.
S.15/12/89, p.6-7
– Outra reivindicação “de mesmo calibre” está no livro Poderá Viver, p. 195 no qual o CG falou sobre si mesmo:
DIREÇÃO TEOCRÁTICA HOJE
13 A organização visível de Deus hoje também recebe orientação e direção teocráticas. Na sede das Testemunhas de Jeová em Brooklyn, Nova Iorque, existe um corpo governante de anciãos cristãos de várias partes da terra que dão a necessária supervisão às atividades mundiais do povo de Deus. Este corpo governante é composto de membros do “escravo fiel e discreto”. Serve qual porta-voz do “escravo” fiel.
14 Os homens desse corpo governante, como os apóstolos e anciãos em Jerusalém, têm muitos anos de experiência no serviço de Deus. Mas não confiam na sabedoria humana ao fazerem decisões. Não, sendo governados teocraticamente, seguem o exemplo do primitivo corpo governante em Jerusalém cujas decisões baseavam-se na Palavra de Deus e eram feitas sob a direção do espírito santo. — Atos 15:13-17, 28, 29.
Obs – Parece temerário aceitar, pura e simplesmente, a orientação de que devemos “…confiar neles…” (nos homens do CG atual) quando o próprio Jeová nos alerta que: “Maldito o homem que confia no homem…” (Jr. 17:5), afinal, os homens do CG, por mais “ungidos” que sejam, estão sujeitos a incríveis falhas, exatamente como estavam sujeitos os homens “ungidos” e inspirados do CG primitivo, não obstante, se verdadeiro for o diferencial apresentado pelo CG atual – não se estribam ou não confiam em sabedoria humana – é possível desconsiderar o alerta bíblico e confiar nos falhos homens do CG (pelo menos é exatamente isso que as TJ fazem).
Não sei quanto a você, leitor, mas minha “sabedoria humana” sente dificuldade em entender com homens falhos e humanos tomam decisões SEM SE ESTRIBAR EM SABEDORIA HUMANA!
 
        Se os homens do CG atual se reivindicassem “inspirados”, ficaria fácil de entender o processo: o Espírito Santo fala e o homem apenas vocaliza a voz do Espírito, mas sem a reivindicação de “somos inspirados” realmente, fica muito difícil (para quem não é TJ) entender.
Mas será que, na verdade, no fundo, no
 
 “fim das contas” o CG não reivindica ser inspirado?
 
Há mais de uma forma de reivindicar inspiração sendo que o uso das palavras: “somos inspirados pelo Espírito Santo, tal qual eram os homens do primitivo CG” não é a única forma de fazer esta mesma reivindicação.
Notem um exemplo: Posso nunca ter afirmado que “sou o melhor aluno de minha turma” e posso até negar isso expressamente, porém, se ao mesmo tempo afirmar várias vezes para todos que: “nenhum outro aluno ou aluna de minha turma teve ou terá notas tão boas quanto as minhas”, estarei reivindicando ser o melhor aluno da turma, por mais que nunca use essas palavras e por mais que negue o título!
Da mesma forma, o CG nunca afirmou, expressamente (e pelo menos até onde eu saiba), ser inspirado e nega que o seja, como se vê no exemplo abaixo:
A Sentinela disse também que terem alguns o espírito de Jeová “não significa que os que servem agora como testemunhas de Jeová são inspirados. Não significa que os escritos nesta revista A Sentinela são inspirados e infalíveis e sem erros”. (Setembro de 1947, página 135).
Despertai 22/3/93, nota na pg. 4
 
Mas se isso que lemos acima é verdade, porque também se publicam afirmações como essas que seguem?
18 A disciplina (treinar, amoldar e ajudar) chega a nós em forma de conselho por intermédio desta revista, A Sentinela. Nela aprendemos os princípios de Jeová e a aplicação deles à nossa vida, podendo então nos ajustar; e assim AS VERDADES PUBLICADAS SÃO PROVISÕES DE JEOVÁ para o nosso benefício, e deles podemos tirar grandes benefícios.
S.1/12/63. p.715
 
Uma vez que verificamos qual o instrumento que Deus usa como seu “escravo” para distribuir o alimento espiritual ao seu povo, Jeová certamente não se agradará se recebermos este alimento como se pudesse conter algo prejudicial. Devemos ter confiança no instrumento que Deus usa.
S. 15/8/81, p.19
Notem se há coerência quando alinhadas todas as afirmações:
– Não somos inspirados, cometemos erros, mas não nos estribamos em sabedoria humana.
– Não somos inspirados, cometemos erros, mas a HISTÓRIA tem provado QUE SE PODE CONFIAR EM NÓS quanto a seguirmos a direção do espírito santo e não nos estribarmos em sabedoria humana.
– Não somos inspirados, cometemos erros, masnão confiamos na sabedoria humana ao tomarmos decisões. Não, sendo governados teocraticamente, seguimos o exemplo do primitivo corpo governante em Jerusalém cujas decisões baseavam-se na Palavra de Deus e eram feitas sob a direção do espírito santo.
– Não somos inspirados, cometemos erros, mas as VERDADES PUBLICADAS POR NÓS SÃO PROVISÕES DE JEOVÁ para vosso benefício.
– Não somos inspirados, cometemos erros, mas somos o instrumento que Jeová usa para distribuir alimento espiritual a seu povo e Ele, certamente, não se agradará se recebermos alimento que possa conter algo prejudicial. Devemos ter confiança no instrumento que Deus usa.
 
Melhor que argumentar com base nos paralelos acima é fazer o leitor pensar, partindo diretamente para as perguntas (objetiva e discursiva) anunciadas no início deste:
 
1– Considerando todas as afirmações do CG acima transcritas, indique a(s) alternativa(s) correta(s).
a) O CG, independentemente de sua posição oficial, ao publicar, entre outras, afirmações como: “as verdades publicadas por nós são provisões de Jeová” não se permite uma terceira classificação: ou é inspirado ou é como farsa.
b) O CG não é, sabe que não é e nem quer ser encarado como inspirado pelas TJ, mas exige destas e se contenta com o fato de seus ensinos serem encarados com a “autoridade de ensinos inspirados”.
c) O CG ocupa uma posição sui generis, pois seria um “semi inspirado” ou “quase inspirado” (posição intermediária entre “ser inspirado por Jeová” e não ter qualquer inspiração da parte Dele) e por isso seus ensinos merecem atenção sendo opcional encará-los ou não com a mesma autoridade de ensinos inspirados.
d) O CG não é inspirado, as afirmações acima não reivindicam inspiração e nem exigem que as TJ encarem os ensinos do CG com a autoridade de ensino inspirado.
e) Nenhuma das anteriores
 
2– Justifique a resposta dada na questão 1, de forma clara, objetiva, fundada na Bíblia e  separando a argumentação em tópicos.
 
Em especial aos leitores TJ, aguardo suas respostas nos comentários pois, baseado em I Pe. 3:15, estou “exigindo”  a razão de sua crença no CG, não para saber se você acertou ou não as questões, mas para tentar entender sua crença no CG após ter sido alertado para tudo o que que se lê acima.
Por fim, peço a todos que responderem, para que não se esquecerem de fazê-lo de acordo com a parte final de I Pe. 3:15.
————————————–
Quer responder? Quer comentar? Quer discordar (no todo ou em parte)? Quer sugerir alguma melhora no texto? Quer indicar alguma necessária correção gramatical?
 
Escreva para mim – 1tessalonicenses5.21@gmail.com (desde já, agradeço). 
 

Nota Legal – Os Artigos deste Blog estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais. A reprodução de partes dos artigos é permitida desde que, citada a fonte e com indicação do link do artigo de onde foi retirada citação.

 

5 comentários

  1. Unknown disse:

    Boa noite ao escritór deste artigo. Eu estou pesquisando sobre as testemunhas de Jeová a pouco tempo por video, e vi que seu blog é muito bom você tem muito conhecimento e qualquer TJ que leia não tem como permanecer ainda acreditando nos ensinos do corpo governante sem deixar de ser honesto.

    Eu queria ter a oportunidade de estudar com você,se você tiver livro eu queria saber como compra-lo, as o bom seria se você pudesse da aula pra tirar dúvidas. Se você puder responder

  2. Unknown disse:

    Meu nome é Aline. Queri Estudar sobre a data 607 a 1914 seguida das doutrinas principais que estão engajadas a tão data como "MT 24:45-47 acho que de maneira definitiva estaria escancarado o erro o CG sobre esses dois temas! Porque algumas Tjs dizem que a cristandade não pode dizer que essa data é falsa, e que o escravo fiel não seja eles CG.

    E tambem sobre o entendimento do que eles entendem por a vereda se tornar mais clara a cada novo ensino, que eles também chamam de organização de Jeová é atualizada.

  3. Olá Desconhecido(a): Obrigado pela vista ao Blog e pelo elogio. Gostaria mas, infelizmente, não tenho nenhum livro escrito e, na verdade, mal tenho conseguido tempo para escrever novos artigos para o Blog (o problema está no fato do dia ter apenas 24 horas, esse tempo não dá dando para quase nada:-)! Se não se importar de manter um estudo bastante irregular, em termos de tempo, posso aceitar sua oferta mas, ainda vou colocar como condição para isso que me escreva um e-mail (para o endereço indicado no final de cada artigo) no qual esclareça: a razão de seu interesse nas TJ e qual uso pretende fazer com os conhecimentos que vier adquirir sobre elas.Aguardo seu e-mail e mais um vez agradeço a visita e o elogio e peço que leia os demais artigos deste Blog e colabore com sugestões, críticas e indicações de erros de português a corrigir e tudo mais que entender necessário. Att. ITs.5:21

  4. Este comentário foi removido pelo autor.

  5. Olá Aline: Obrigado pela vista ao Blog. As duas perguntas que fez não ficaram muito claras mas vou tentar oferecer um resumo do resumo das respostas, segundo o que consegui entender: 1 – TODAS as TJ (e não apenas algumas) são obrigadas a defender a data de 607, pois, essa é a espinha dorsal do sistema doutrinário do CG. assim como têm que defender o CG como o "escravo" de Mt. 24:45, sob pena de colocar em cheque todas as doutrinas que acreditam, pois, todas elas vem do CG que precisa ser encarado em posição de autoridade. 2 – Sobre Pv. 4:18 – se, como diz o ditado: "desculpa de cego é muleta", da mesma forma "desculpa de TJ é Pv. 4:18" – sem a interpretação absurda que não para esse verso, a realidade (elas creem e ensinam mentiras para as pessoas) ficaria ainda mais evidente do que já é (vou postar ainda hj um artigo sobre esse tema). Sobre o "estudar comigo" peço que leia a resposta que escrevi à mensagem anterior – o mesmo que escrevi ali vale para vc. Por fim, agradeço novamente a visita e espero sua colaboração por meio de sugestões, criticas e indicações de erros de português a corrigir e tudo mais que entender que contribuirá com o Blog. Att. ITs.5:21

Deixe uma resposta para Unknown Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *