TEMPORÁRIOS ENTENDIMENTOS ERRÔNEOS OU APENAS – A VERDADE – O QUE PROVEM DE JEOVÁ? ®

TEMPORÁRIOS ENTENDIMENTOS ERRÔNEOS OU APENAS – A VERDADE – O QUE PROVEM DE JEOVÁ? ®

3 de julho de 2015 Miscelânea (não categorizados) Todos os Artigos 4

Isaías 55:

10Pois assim como desce dos céus a chuvada e a neve, e não volta àquele lugar, a menos que realmente sature a terra e a faça produzir e brotar, e se dê de fato semente ao semeador e pão ao comedor,
11assim mostrará ser a minha palavra que sai da minha boca. Não voltará a mim sem resultados, mas certamente fará aquilo em que me agradei e terá êxito certo naquilo para que a enviei.
 
        Como já afirmei em um outro artigo (desta série sobre – A VERDADE) nunca ouvi e creio que nunca vou ouvir uma TJ afirmando que quaisquer de suas crenças, por mais que sejam defendidas como A VERDADE, na realidade, não passam de VERDADES MUTÁVEIS (a qualquer tempo) e sem limitação de mudanças, até porque, seria um contrassenso se cada TJ, ao terminar de ensinar quaisquer de suas crenças a alguém, concluíssem o momento de ensino afirmando:
 
         Bem, aquilo que acabei de te ensinar é a VERDADE, É A QUILO QUE A BÍBLIA REALMENTE ENSINA, porém, você deve estar ciente de que esta Verdade Bíblica pode, já a partir da próxima edição da Sentinela, ser total ou parcialmente alterada sendo que, se isso o correr, você deverá abandonar, no todo o em parte, isso que acabei de te ensinar e passar a acreditar na nova verdade bíblica conforme revelar a Sentinela e se, futuramente, uma ou mais Sentinelas trouxerem outras verdades bíblicas sobre esta mesma crença, você deve ir mudando seu entendimento para se conformar ao da Sentinela, afinal, é assim que Deus age com seu povo e quem somos nós para questionar a forma como Deus age?
 
Tal afirmação seria desastrosa à credibilidade daquilo que se acabou de ensinar, porém, seria absolutamente honesta mas, você, TJ que está lendo este artigo, já afirmou algo semelhante ao terminar de ensinar a alguém alguma de suas crenças?
 
Sobre este tema, note o que afirma o Livro TJ Proclamadores (grifos acrescidos):
 
Conceitos doutrinais que precisavam de refinamento.

As Testemunhas de Jeová reconhecem abertamente que o seu entendimento do propósito de Deus TEM PASSADO POR MUITOS AJUSTES A O LONGO DOS ANOS. O fato de que o conhecimento do propósito de Deus progressivo significa que tem de haver mudanças. O propósito de Deus não muda, mas o ESCLARECIMENTO QUE ELE CONTINUAMENTE CONCEDE A SEUS SERVOS exige ajustes no seu ponto de vista.
p.629
 
Como já destacado em artigo anterior e como acabou de ler acima, segundo as TJ, foi Jeová quem estabeleceu esta forma de ensinar, logo, embora haja apenas uma verdade sobre cada propósito de Deus, o esclarecimento que Ele concede sobre tais propósitos são mutantes e muitas vezes contraditórios entre si e por isso é necessário corrigir, mudar o ponto de vista, de tempos em tempos.
 
Assim, se as TJ passam anos, décadas, crendo e ensinando uma certa crença (como sendo, a verdade, aquilo que a Bíblia realmente ensina) mas tal crença, na realidade, necessita ser mudada, o responsável por permitir que aquilo que não é “a verdade” seja ensinado como se verdade fosse, e isso, por períodos que podem ser muito longos, seria Quem?

Tal ensino das TJ nos faz chegar à conclusão que Jeová vê alguma vantagem, deve ter algum objetivo quando permite que pessoas ensinem, em seu Nome, algo que não é A VERDADE, algo que não tem real apoio Bíblico!
 
Isso fica ainda pior quando se lembra que todo os ensinos das TJ (sejam vigentes ou já abandonados) – recebem (ou já receberam) o título (retirado de Mt. 24:45) de:
 
 “alimento no tempo APROPRIADO
 
Acrescendo estes novos elementos, a conclusão a que se pode chegar é:

Certas porções de “alimento” outrora recebido (leia-se quaisquer crenças já abandonadas) não eram A VERDADE (final e definitiva) sobre tal crença, porém, funcionavam muito bem como “VERDADE APROPRIADA” DENTRO DE CERTO PERÍODO DE TEMPO (!).
 
Em resumo – Jeová mantêm aquilo que não é A VERDADE, como se verdade fosse nas mentes das TJ porque o conhecimento desta – não verdade -, durante certo período de tempo, é mais apropriada do que seria A VERDADE (com o perdão da redundância) VERDADEIRA, desde logo!
 
 Devemos lembrar também que há vezes onde:
 
– o novo entendimento revoga o entendimento anterior, que por sua vez, já havia revogado o entendimento que vigia antes dele e que:
 
– há vezes o novo entendimento sobre certa crença nada mais é que do que uma crença anterior já revogada, mas que ressurge com status de verdade atual (em outras palavras – o tempo volta a ser apropriado para que aquela “verdade revogada” volte a ser “verdade vigente”!
 
É espantosa a conclusão final:
 
Deus encontra (ao menos, temporariamente) vantagem e utilidade na MENTIRA e por isso – a transmite às TJ!
 
Sei que você irá discordar da conclusão acima, porém, a leia sob o ponto de vista da seguinte e lógica lição constante do Livro “Poderá Viver para Sempre…”: 
 
“Não pode haver duas verdades, quando uma não concorda com a outra. Ou uma ou a outra é verdadeira, mas não ambas. Crer sinceramente em alguma coisa e praticá-la não a torna certa, se realmente for errada”.
Cap. 3, p.32§19
 
Assim, se o novo entendimento nega o anterior, o entendimento anterior não pode continuar sendo encarado como verdade e se vier um terceiro entendimento que nega os dois anteriores, nenhum dos anteriores era, realmente, A VERDADE e assim, sucessivamente.
 
Caso você ainda não esteja convencido de que, implicitamente, as TJ ensinam que Jeová é o responsável por enviar entendimentos falsos sobre sua palavra às TJ (leia-se – ao Corpo Governante), aplique isso em um exemplo concreto e que, provavelmente, não vai mudar mais:
 
Retorno à questão de uma pirâmide do Egito ser a “Testemunha de Jeová” mencionada em Isaías 19:19, 20.
 
Antes de Russel surgir com o ensino de que aquela Pirâmide era uma Testemunha de Deus que revelava o plano de Deus para as eras, creio eu, o entendimento das TJ sobre as Pirâmides ou era desconhecido (não manifestado em nenhuma Sentinela) ou era igual o atual, isso é:
 
*Pirâmides nada tem a ver com a adoração verdadeira
 
Vamos supor que esta era a realidade e vamos chamar tal *realidade de – Verdade A.
– Em certo momento Russell passou a ensinar que uma determinada Pirâmide Egípcia era a Testemunha de Jeová prevista no livro de Isaías. Vamos chamar este ensino de – Verdade B.
 
Em ordem cronológica crescente temos:
 
“Verdade A” Vigente – Surge a “Verdade B” (que revoga a “Verdade A”) – Ressurge a “Verdade A” (que revoga a “Verdade B”).
 
Pergunto:
 
Quando a “Verdade B” foi, efetivamente, A VERDADE? 
 
Mas se nunca foi verdade, porque a “Verdade B” foi pregada e ensinada como sendo – alimento no tempo apropriado, provido por Deus – aquilo que a Bíblia realmente ensina?
 
Caro TJ, se Deus teve alguma coisa a ver com este entendimento sobre a Pirâmide ser Sua Testemunha (entendimento que durou por cerca de 50 anos) então Deus entendeu que por este grande período de tempo esta – não verdade – era mais apropriada do que a – real Verdade -, portanto, Deus, por intermédio de seu canal de comunicação, tornou conhecida das TJ uma MENTIRA, mas que por ser conveniente naquele período, foi pregada e ensinada como sendo A VERDADE, aquilo que a Bíblia realmente ensina – alimento no tempo APROPRIADO – provido pelo único canal de comunicação que Deus usa!(?)
 
Mas porque Jeová fez assim?
 
(e como Jeová, certamente, nada tem a ver com isso, peço perdão a Ele por meramente cogitar que Ele pode ter sido o responsável).
 
– A questão que quero levantar é ampla, tem a ver com todas as mudanças de doutrina onde uma mentira substitui a outra ou
 
– uma verdade é substituída, temporária ou “eternamente”, por por uma mentira.
 
Mas aqui vou me ater ao exemplo da Pirâmide:
 
Hoje, sobre a Pirâmide apontada por Russel como sendo uma “Testemunha de Jeová” e sobre qualquer outra Pirâmide, A VERDADE, AQUILO QUE A BÍBLICA REALMENTE ENSINA, CONFORME DEUS DÁ A CONHECER POR INTERMÉDIO DE SEU ÚNICO CANAL DE COMUNICAÇÃO) É: 
 
… as Testemunhas de Jeová abandonaram a idéia de que uma pirâmide egípcia tenha algo que ver com a adoração verdadeira.
Proclamadores cap. 14 p. 201
 
Se durante aproximados e longos 50 anos, à contrário sensu do afirmado acima, as TJ acreditavam que uma Pirâmide Egípcia tinha tudo a ver com a Adoração Verdadeira e assim criam porque foi Jeová quem, por intermédio de seu canal de comunicação, não apenas assim ensinou mas manteve tal ensino por cerca de 50 anos!
 
Agora relembre o que Jeová afirma, por intermédio do profeta Isaías:
 
10 Pois assim como desce dos céus a chuvada e a neve, e não volta àquele lugar, a menos que realmente sature a terra e a faça produzi r e brotar, e se dê de fato semente ao semeador e pão ao comedor,
11assim mostrará ser a minha palavra que sai da minha boca. Não voltará a mim sem resultados, mas certamente fará aquilo em que me agradei e terá êxito certo naquilo para que a enviei.
Cap. 55
 
Você se habilita a aplicar este texto de Isaías ao período onde o ensino sobre a Pirâmide estava vigente e a explicar como pôde o DEUS QUE NÃO PODE MENTIR (Tt. 1:2) ter se agradado e ter obtido êxito por intermédio de uma mentira (que levou as TJ a praticar – adoração falsa)?
 
Quem não é TJ tem grande dificuldade em entender e harmonizar tais coisas, por isso tenho que requerer ajuda das TJ para as quais, muito provavelmente, estes fatos se alinham perfeitamente e são facilmente explicáveis. (ou não?)
 
—————————————————
 
Quer comentar? Quer discordar? Quer sugerir alguma melhora no texto? Quer indicar alguma necessária correção gramatical?
 
Escreva para mim -1tessalonicenses5.21@gmail.com (desde já – agradeço)

Nota Legal – Os Artigos deste Blog estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais. A reprodução de partes dos artigos é permitida desde que, citada a fonte e com indicação do link do artigo de onde foi retirada citação.

 

4 comentários

  1. Sucesso para o blog, rapaz; creio que em razão de você não ser um "apóstata" as Testemunhas de Jeová se sentirão mais propensas a ler seus artigos.

    Abraços!

  2. Alberto disse:

    Conheci o blog ontem e amei. Muito bem elaborado e amoroso para com as Testemunhas de Jeová.
    Parabéns!

  3. Olá Alberto – Muito obrigado pela visita ao Blog e pelo comentário de incentivo.

  4. Olá Alberto. Acabei não percebendo essa sua mensagem, daí a (grande) demora em respondê-la. Obrigado pelo elogio. Vc. ressaltou o que de mais essencial me motivou a criar e a manter este Blog. A imensa maioria das TJ que conheci, nos mais de 30 anos em que tenho buscado conhecê-las (não obstante não ter sido, no final das "contas", bem tratado pela maioria elas) são pessoas muito sérias e comprometidas com sua fé – e isso me anima a alertá-las para que revejam as próprias convicções sobre a religião que seguem tão fielmente. Volte sempre a este Blog e contribua com sugestões e críticas. Att. ITs. 5:21

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *